Jogando com a comida: MasterChef e os recursos televisuais que tornam espetacular uma atividade ordinária

  • Carlos Eduardo Marquioni
  • Fernando Andacht
Palavras-chave: reality show, letramento, semiótica indicial.

Resumo

O artigo analisa o programa MasterChef enquanto um formato híbrido entre o reality show e o talent show. Aborda-se seu sucesso como associado a um letramento televisual que em seu estágio atual proporciona exposição à audiência da artificação culinária contemporânea. Além da análise semiótica e imanente, usa-se material obtido em entrevistas com membros da produção da primeira edição brasileira. O resultado seria que o aspecto culinário prático não constituiria a principal atração do programa. O formato possuiria cinco componentes que explicariam sua popularidade, entre eles destacam-se as ordálias da identidade dos participantes em provas de resistência psicológica tanto quanto culinária.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-08-2016
Como Citar
Marquioni, C., & Andacht, F. (2016). Jogando com a comida: MasterChef e os recursos televisuais que tornam espetacular uma atividade ordinária. E-Compós, 19(2). https://doi.org/10.30962/ec.1230
Seção
Televisão

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##