[1]
F. Uchoa, “O menino e o mundo (2013) de Alê Abreu: campo-cidade, estilo indireto livre e o direito à cidad”e, EC, vol. 21, nº 3, dez. 2018.