A “invasão” das crianças no discurso jornalístico: a representação não desejada da infância

  • Juliana Doretto
  • Thaís Furtado
Palavras-chave: infância, jornalismo, discurso

Resumo

Meninas e meninos, nos discursos jornalísticos, vêm sendo representados a partir de estereótipos, que podem ser resumidos em uma dicotomia: o ser inocente, a ser protegido, e o delinquente, ameaçador. A “invasão” dos filhos do pesquisador Robert Kelly durante entrevista concedida ao canal de TV BBC teve grande repercussão, gerando discussões sobre estereótipos paternos e da estrangeira, mas também trazendo uma representação não esperada da infância, em que o brincar perturba a seriedade da narrativa jornalística. Pelo viés da Análise do Discurso de linha francesa, percebemos que a “invasão” rompe o contrato de comunicação estabelecido na entrevista, o que poderia explicar sua repercussão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-04-2018
Como Citar
Doretto, J., & Furtado, T. (2018). A “invasão” das crianças no discurso jornalístico: a representação não desejada da infância. E-Compós, 21(2). https://doi.org/10.30962/ec.1471
Seção
Artigos Originais