O Núcleo Guel Arraes e sua “pedagogia dos meios”

  • Yvana Fechine
Palavras-chave: Televisão de qualidade, Estética, Guel Arraes, Cena Aberta

Resumo

Aliando a metalinguagem e a reoperação de gêneros com estratégias inovadoras de montagem, incorporando o processo de produção ao produto ou, no extremo, a apresentando o próprio processo como produto, o projeto ético-estético de qualidade na TV do Núcleo Guel Arraes envolve, antes de mais nada, uma “pedagogia dos meios”. Nos programas do Núcleo há, assumidamente, a pretensão de romper com o “naturalismo” na representação audiovisual: toda encenação se revela, de alguma maneira, como encenação; a TV tematiza a própria TV; a realidade é apresentada, enfim, como uma construção da linguagem. Por reunir estratégias estéticas e preocupações éticas recorrentes em toda a produção do Núcleo Guel Arraes, a série de Cena Aberta (2003) pode ser considerada uma síntese da sua proposta de instruir o público sobre a própria prática de fazer e “ver TV”.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Fechine, Y. (2007). O Núcleo Guel Arraes e sua “pedagogia dos meios”. E-Compós, 8. https://doi.org/10.30962/ec.135
Edição
Seção
Dossiê Temático