Criando gênero: o discurso sobre criação de meninos e meninas na autoajuda de aconselhamento parental

Palavras-chave: Identidade de gênero, Autoajuda, Análise de discurso

Resumo

Neste artigo, analiso o discurso sobre identidade de gênero apresentado nos livros Criando meninos (2014) e Criando Meninas (2015), de Steve Biddulph, clássicos da autoajuda de aconselhamento parental. Amparada na análise de discurso de inspiração pós-estruturalista, investigo de que modo o gênero aparece nas formulações desses livros e de que forma tais ideias refletem expectativas e inquietações culturais a respeito da criação dos filhos na contemporaneidade, levando em consideração os respectivos papeis de gênero em uma sociedade marcada pelo binarismo e pela heteronormatividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayka Castellano, Universidade Federal Fluminense

Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutora e mestre em Comunicação e Cultura pelo PPGCOM da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ), na linha Mídia e Mediações Socioculturais, onde também foi bolsista da Faperj de pós-doutorado. Trabalha em pesquisas do campo da Comunicação, com interesse em Consumo Cultural, Cultura dos Fãs,Televisão, Ficção Seriada, Produção de Subjetividade, Cultura Terapêutica, dentre outros temas.

Publicado
17-01-2019
Como Citar
Castellano, M. (2019). Criando gênero: o discurso sobre criação de meninos e meninas na autoajuda de aconselhamento parental. E-Compós, 22(1). https://doi.org/10.30962/ec.1581
Seção
Artigos Originais