Imaginário e virtualidade: as estratégias miméticas no épico “300”

  • Denise Azevedo Duarte Guimarães
Palavras-chave: cinema, graphic novel, fidelidade, proposta metalingüística

Resumo

O artigo estuda como o estilo fílmico de “300” recusa os padrões naturalistas, com ênfase na fidelidade ao álbum de Frank Miller. Este texto busca uma reflexão sobre a “estranha” concepção mimética do filme, ao usar a técnica, efeitos computadorizados, cenários e imagens virtuais, na reconstrução estilizada das cenas da graphic novel. A adaptação fílmica é investigada em seu propósito metalingüístico, tentando mostrar como as imagens impressas preexistentes são virtualmente apresentadas, numa artificialidade ostensiva que cria um novo paradigma cinematográfico para o gênero épico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
10-03-2009
Como Citar
Guimarães, D. A. D. (2009). Imaginário e virtualidade: as estratégias miméticas no épico “300”. E-Compós, 11(3). https://doi.org/10.30962/ec.302
Seção
Artigos Originais